Haddad: "não tenham medo, nós estaremos aqui"

,
Haddad discursou em São Paulo após o anúncio da vitória de Jair Bolsonaro (PSL)

Haddad discursou em São Paulo após o anúncio da vitória de Jair Bolsonaro (PSL)

Haddad: "não tenham medo, nós estaremos aqui"

Em seu discurso após perder as eleições, o petista pediu coragem, agradeceu aos mais de 45 milhões de votos: "trata-se de uma parte expressiva da população que precisa ser respeitada"
Num discurso de pouco mais de dez minutos, feito do hotel em São Paulo de onde acompanhou a apuração dos votos, a palavra coragem pontuou a ocasião em diversos momento. Logo no início da fala, ao agradecer correligionários e aliados, mencionou seus antepassados, aos quais atribuiu o aprendizado do valor da coragem na defesa da justiça. "A coragem é um valor muito grande quando se vive em sociedade".
Diferenciando-se dos discursos clássicos de quem perde a eleição, Haddad não reconheceu explicitamente a derrota ou parabenizou o vencedor. Em seu Twiiter, a jornalista Natuza Nery disse ter perguntado a Haddad a razão de não ter telefonado para Jair Bolsonaro. A resposta dele: “Ele me chamou de canalha e disse que se eleito mandaria me prender”. “Achei que não tinha o menor clima além de não poder prever a reação”.

Haddad agradeceu aos mais de 45 milhões de votos que recebeu e lembrou que trata-se de uma parte expressiva da população que precisa ser respeitada. "São pessoas que têm outro projeto de Brasil e merecem respeito. Muita gente não é de partido, de associação, vimos a festa da democracia tomar as ruas. Pessoas que passaram a dialogar e reverter um quadro que se anunciava. Houve uma reversão importante sobre o que está em jogo", afirmou, se referindo ao movimento vira-voto.
O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação afirmou que o País já vive um período longo em que as instituições são colocadas a prova. Começou em 2016, com o impeachment de Dilma Rousseff, depois com a prisão do ex-presidente Lula e depois com o registro de usa candidatura, desrespeitando uma orientação da ONU. "Seguimos com determinação e coragem, levando nossa mensagem a todo o País, a todos e todas", disse, reforçando o respeito à diversidade sexual, racial e religiosa.
Haddad disse ainda que a democracia é um valor que está acima de todos, que precisa ser defendido daqueles que "de forma desrespeitosa pretendem usurpar o patrimônio de todos os brasileiros: os direitos civis, políticos, trabalhistas e sociais". Para ele, "tudo em jogo neste momento e temos a tarefa enorme que é, em nome da democracia, defender o pensamento e as liberdades de 45 milhões. Fazer oposição colocando os interesses do povo acima de tudo... reconhecemos a cidadania em cada brasileiro e brasileira e não vamos deixar esse País para trás, defendendo nosso pontos respeitando a democracia e as instituições diante de tudo que está em jogo".
O momento mais aplaudido foi quando, parafraseando o hino nacional disse: verão que um professor não foge à luta e nem teme quem adora a liberada à própria morte. "O compromisso é com a vida."

Haddad conclui sua fala afirmando que em quatro anos teremos eleição e "não vamos deixar de exercer nossa cidadania. Temos que fazer uma profissão de fé de que vamos nos reconectar com as bases e com os mais pobres para oferecer um programa de nação que há de sensibilizar mentes e corações".



0 comentários:

Postar um comentário