Nota de esclarecimento de Patricia Novaes, gestora da Escola Manoel Nunes Magalhaes de São José do Belmonte

,
Como Gestora da Escola Manoel Nunes Magalhães, cumpro em esclarecer aos leitores do Blog de Irmão Geo ou quem interessar sobre a denuncia vinculada por este blog: Decidimos promover uma rifa em beneficio da compra de ventiladores para as salas de aula, tendo em vista os, existente não estão dando conta, devido à alta temperatura em nossa cidade. Salientamos que a nossa intenção foi das melhores possíveis, pensando no conforto e bem estar dos alunos, beneficiando exclusivamente a eles. Em momento algum obrigamos nenhum aluno ou pai vender ou comprar a mesma. Acreditamos que agimos dentro da total legalidade, uma vez que a intenção é de angariar recursos para fins solidários e humanitários que são causas tão importantes, principalmente quando se é em prol das crianças e da educação. O compromisso de todos enquanto cidadãos ou cidadãs no seu pleno e livre arbítrio, no seu direito legítimo de achar ou pensar o que vem a ser bom ou ruim para aqueles que mais necessitam, especialmente quando se trata de seus próprios interesses e aqui em particular, são nossas crianças, os diretamente favorecidos. Não é porque pagamos impostos que temos que esperar tudo pela prefeitura. As pessoas têm que entender ou querer entender que o País passa por uma crise financeira e política muito grande, abalando principalmente as prefeituras de pequeno porte como a do nosso município, impossibilitando ao prefeito resolver um problema como esse, tendo que priorizar ações mais emergentes. Estamos sem receber o dinheiro da Unidade Executora (UEX) até o dia de hoje, recurso esse Federal que vem diretamente para as escolas, para aquisição de materiais permanentes, didático e limpeza, no valor de aproximadamente 6 mil reais, que ainda é dividido em 2 parcelas. É salutar reconhecer a grandiosidade dos gestos de cada funcionário e pai, doando o seu apoio em prol de uma causa que não é minha, não é da escola, mas sim de todos aqueles que acreditam que só construiremos um mundo melhor acreditando e fazendo algo para uma sociedade educada e justa. Percebemos enfim, que a matéria ou denuncia aqui citada no dia 29 de outubro de 2015, configura numa grande hipocrisia com conotação meramente eleitoreira, propondo denegrir a imagem dos profissionais que amam o que fazem, muitas vezes dando o que há de mais precioso que é o amor em prol das crianças de nossa querida e amada terra. Patrícia da Penha de Almeida Novaes.

Um comentário:

  1. Olá...
    Acredito na total boa intenção da gestão da escola, no entanto a mesma, bem como o conselho escolar tem que colocar prioridades no gasto financeiro da instituição. Sei também que não foi obrigado pais e alunos comparem as rifas, e o fizeram com a maior das melhores intenções. No entanto, é preciso compreender que, mesmo passando por uma crise, os recursos para educação e saúde, nunca deixam de ser enviados, ainda que em pequena quantidade. Se assim for, repito - a gestão junto ao conselho tem que colocar as prioridades: A escola tem total autonomia para isso. Espero que este post não seja entendida como uma critica destrutiva, mas como um esclarecimento à toa população. Digo isso com convicção e cognição, pois sou professor e presidente do conselho da escola que trabalho.

    ResponderExcluir