Irmão de Sebastião desiste de disputar a prefeitura de Serra Talhada em 2016

,
waldemarFotos: Farol de Notícias/Alejandro Garcia
O advogado Waldemar Oliveira, que saiu da corrida pela Prefeitura de Serra Talhada, visitou a Capital do Xaxado nessa quarta-feira (28) e revelou sua opinião sobre o que pode acontecer nos próximos meses, dentro do G11, que reúne 11 partidos de oposição ao prefeito Luciano Duque. Durante entrevista ao FAROL, ele descartou a presença do deputado Sebastião Oliveira na chapa de 2016 e revelou que a disputa deve ficar mesmo entre o médico Fonseca Carvalho (PR) e a ex-secretária de Saúde, Socorro Brito (PSB)
“Eu acho que Sebastião tem um projeto de ser um secretário bem sucedido do governador Paulo Câmara, com muitas obras, inclusive, recentemente conseguiu para Serra Talhada, salvo engano está em fase de licitação, a estrada de Bernardo Vieira. Estrada que vai ligar a 232 a Bernardo Vieira. Então, eu acho que é uma obra estrutural fundamental para a cidade e a gente precisa de Sebastião lá junto do governador”, declarou Waldemar, sendo objetivo quanto a disputa interna nas oposições.
“Na minha opinião pessoal, eu acho que o nome da oposição deve vir entre Fonseca e Socorro Brito. Tem outros nomes também, mas são nomes importantes. Eu acho que os dois têm condições de ser cabeça de chapa, agora na minha opinião deveria ir o que estiver melhor avaliado pela população”.
GOVERNO DUQUE
Durante a entrevista, que aconteceu em meio a um evento promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Serra Talhada, o irmão do deputado Sebastião Oliveira foi provocado para avaliar a gestão do prefeito Luciano Duque, mas suavizou nas críticas optando em culpar o governo da presidente Dilma Rousseff pelos desacertos da gestão em Serra.
“A gestão de Luciano, como toda a gestão do Brasil está tendo dificuldades. Nós estamos em uma crise sem precedentes, eu acho que muito por culpa do governo do PT Federal. A gente não pode botar essa culpa em Luciano, é por uma tremenda má administração da nossa presidente e o país está em uma crise econômica, uma crise política, institucional, crise jurídica. É muita crise para enfrentar ao mesmo tempo. Muitos campos de batalha. Mas eu confio no povo brasileiro, é um povo aguerrido, um povo batalhador, um povo muito forte e vamos superar isso sim, com certeza. Eu não avalio como um momento bom, mas não é só para Luciano, não. É para o Brasil como um todo”.

0 comentários:

Postar um comentário