Festa da Pedra do Reino celebrou legado de Ariano Suassuna em paz

,

Conhecida pela inspiração nas tradições ibéricas, perpetuada através de competições entre mouros e cristãos, a 23ª edição da Cavalhada Zeca Miron foi realizada no sábado (30), integrando a programação festiva do Pernambuco Nação Cultural – Sertão Central. Sendo uma realização da Associação Cultural Pedra do Reino, o evento prestou uma grande homenagem ao escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, falecido em agosto do ano passado.


Contando com a presença de Dª Zélia, viúva do escritor, além de filhos e netos, a memória de Ariano Suassuna foi consolidada no evento por meio de um mural confeccionado pelo artista-plástico Silvinho, em uma das paredes do Estádio Carvalhão. O mural, que contem a imagem do mestre ornamentada com elementos armoriais, reporta à obra “O Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta”, publicado pelo escritor no ano de 1971.

Como convidado especial, o cordelista e historiador belmontense Ernando Carvalho, autor do livro “Cavalgada Zeca Miron”, referiu-se aquele momento como um importante símbolo de gratidão do evento, especialmente pelo apoio concedido por Ariano para que o município passasse de fato a incorporar a tradição recriada por Zeca Miron no ano de 1996. “Ariano Suassuna e Zeca Miron eram grandes amigos, tanto que em 2002, quando foi homenageado por uma escola de samba durante o carnaval do Rio de Janeiro, Ariano fez questão de convidar Zeca para compor com outros amigos aquele desfile”, comentou Ernando. 


Após a homenagem, foram iniciadas as competições entre os cavaleiros azuis e encarnados, nas modalidades corrida das argolas, lance as lanças e corrida das espadas. A disputa entre os dois grupos de cavaleiros foi bastante acirrada, ocasionando num empate de 10 x 10. Com a prova final de desempate, os encarnados saíram vitoriosos nesta edição, recebendo de Dantas Suassuna, filho de Ariano, a bandeira da torcida encarnada.

Neste domingo (31), a Cavalgada à Pedra do Reino também chegou a sua 23ª edição, repetindo mais um dia dedicado ao seu saudoso imperador. A concentração aconteceu em frente à Igreja Matriz de São José, onde os padres Cladivan Santos e Eduardo Lima fizeram uma bênção a todos os participantes. 

Mariana e Lucas Suassuna, netos de Ariano, foram a rainha e o rei da Cavalgada 2015

Após a realização do ato religioso, que também contou com as apresentações do Coral de Aboio de Serrita, da Banda Filarmônica São José e da Banda de Pífanos do Mestre Ulisses, a cavalgada segue em direção as terras da Fazenda Pedra do Reino, localizada a aproximadamente 26km do centro da cidade. Durante o trajeto, composto por uma vegetação nativa e exuberante, os participantes possuem dois momentos de intervalo, para que o trajeto também seja marcado pela descontração propícia ao ritmo da festividade que os espera no reino encantado que inspirou Ariano Suassuna.

Chegando ao local, o rei e a rainha da cavalgada, ambos netos de Suassuna, conduziram os cavaleiros para mais uma bela cerimônia dedicada ao mestre da literatura nordestina. A família fez questão de saudar a todos. “A emoção é porque sabemos o quanto ele gostava deste lugar”, ressaltou Dª Zélia. 


Sobre o legado do escritor deixado para o município de São José do Belmonte, Dantas Suassuna disse que a família tem planos para retomar as atividades culturais iniciadas pelo pai na localidade. “Temos alguns projetos e estes serão conversados mais adiante, para que possamos contar com o apoio das associações interessadas nas parcerias locais”, comentou Dantas.

A manhã e tarde na Pedra do Reino foi de bastante festividade para os participantes. Estiveram se apresentando no local o Trio de Forró de Douglas, Naldo Aboiador e Sérgio do Forró. O evento, que conta com incentivo do Governo de Pernambuco, através da Fundarpe, estima que cerca de 3 mil pessoas compareceram na propriedade rural para o encerramento da cavalgada.

Portal Cultura PE

0 comentários:

Postar um comentário